Subscribe via RSS

Cenários cinematográficos

27 jul 2014

written by Memória Cinematográfica

Cenários cinematográficos

De Hong Kong a Nova York, passando por Paris, São Paulo e Roma, lugares para conhecer que têm destaque também na telona (ou na TV)

Hong Kong, China

“Batman – O Cavaleiro das Trevas” (“The Dark Knight, 2008”)

Repleta de prédios envidraçados, Hong Kong é onde fica o arranha-céu de que o protagonista salta em Batman — O Cavaleiro das Trevas. O prédio, Two International Financial Centre, tem 400 metros de altura e do lado de dentro o visitante pode conhecer um minishopping com lojas de luxo, Starbucks e Apple Store. Fica ali também o hotel Four Seasons, cujas suítes possuem vista incrível para o Victoria Harbour.

Two International Financial Centre, 8 Finance Street, Central

“Círculo de Fogo” (“Pacífic Rim, 2013”)

Em uma das sequências do filme dirigido pelo mexicano Guillermo del Toro, os jaegers, robôs gigantes da altura de um prédio de 25 andares, invadem as ruas da ilha chinesa para proteger a Terra contra os kaijus, criaturas monstruosas que surgem de uma fenda no fundo do oceano Pacífico. Estão lá nas imagens o skyline e as luzes que iluminam os prédios imponentes que formam o cartão-postal da cidade.

Roma, Itália

“O Talentoso Ripley” (“The Talented Mr. Ripley”, 1999)

A história sobre o rapaz (Matt Damon) que tem o dom de imitar assinaturas e outras coisas começa em Nova York, mas ele logo ganha a confiança do milionário Herbert Greenleaf (James Redhorn) e parte para a Itália. A intenção é convencer o filho playboy do tal magnata, Dickie (Jude Law), a voltar para os EUA e trabalhar nas empresas da família. A primeira cena de Roma é rodada na Piazza Navona, quando os dois vão se encontrar com Freddie (Philip Seymour Hoffman).

Construída sobre ruínas de um antigo estádio romano, a praça tem um formato elíptico, com três fontes rodeadas por edifícios e há cafés, restaurantes e artistas de rua. O longa-metragem de Anthony Minghella passeia por outros pontos da capital italiana, como a Piazza di Spagna, que possui uma escadaria enorme que leva à igreja Trinità dei Monti.

São Paulo, Brasil

“Ensaio Sobre a Cegueira” (“Blindness”, 2008)

Embora se passe em uma cidade fictícia, o diretor brasileiro Fernando Meirelles, em coprodução com Japão e Canadá, filmou em locações na capital uruguaia, Montevidéu e em Toronto, no Canadá. São Paulo também foi usada como cenário. Em cenas de uma cidade abandonada, é possível facilmente reconhecer as escadarias do Teatro Municipal, o viaduto do Chá, a avenida Paulista, a ponte Estaiada, que virou cartão-postal da cidade, e o Elevado Costa e Silva, o Minhocão.

Este último, por exemplo, aparece em meio ao lixo, representando uma cidade abandonada. Todos os dias, das 21h30 às 6h30 do dia seguinte, e domingo durante o dia todo, a via é fechada e se torna uma grande rua de lazer. Os carros que andam apressados na ligação com pouco mais de três quilômetros entre a região da Praça Roosevelt, no centro da cidade, ao largo Padre Péricles, em Perdizes, dão lugar a pessoas praticando exercícios, como corrida, bike, skate ou simplesmente vendo a vida passar lentamente.

Paris, França

“A Hora do Rush 3” (“Rush Hour 3”, 2007)

As trapalhadas de Chris Tucker e Jackie Chan no filme de Brett Ratner passam por alguns cartões-postais da Cidade Luz. O mais óbvio de todos é a Torre Eiffel, o ponto turístico mais visitado por quem conhece a capital francesa. Criada pelo engenheiro Gustave Eiffel para a exposição de 1889, ela deveria ter sido destruída 20 anos depois, mas acabou sendo preservada por motivos de comunicação. Possui 317 metros de altura, pesa 10 mil toneladas, tem 1.600 degraus e é o símbolo da cidade.

Os visitantes podem conhecer, de graça, o primeiro andar, onde também funciona um restaurante, o Le Jules Verne. Para ir ao topo, o ingresso custa 15 euros. No longa, depois de uma discussão com Lee, Carter vagueia pelas ruas da cidade e entra no Café de la Paix, na praça da Ópera. Em 1864, Napolão III pede ao barão Haussmann, planejador da cidade, que crie uma avenida para ligar o Palais des Tuileries, onde ele vive, à nova ópera que está sendo construída pelo arquiteto Garnier. A avenida da Opéra é a única em Paris sem árvores.

“O Diabo Veste Prada” (“The Devil Wears Prada”, 2006)

Quando Andy Sachs (Anne Hathaway), secretária da diretora da revista de moda mais importante no segmento, Miranda Priestly (Meryl Streep), consegue carimbar o passaporte para ir a Paris assistir aos desfiles da semana de moda, ela passa por alguns locais emblemáticos da cidade. Entre eles, a praça da Concórdia, a maior da capital francesa, com 84 mil metros quadrados.

A praça foi erguida em honra a Luís XV, entre 1755 e 1775, por Jacques Ange Gabriel. Ela possui oito estátuas que representam oito cidades francesas no Obelisco de Luxor feito de granito rosa. As belas fontes dos Rios e dos Mares, situadas uma em cada lado do obelisco, comemorama navegação fluvial e marítima. Andy também vai passear na avenida Montaigne, local onde estão localizadas as grandes maisons, como Chanel, Dior, Louis Vuitton e, claro, Prada.

“Ratatouille” (2007)

A animação da Pixar fez uma grande homenagem a Paris na história sobre o ratinho que sabe cozinhar. Django, o pai de Rémy, alerta que os homens representam uma grande ameaça aos ratos e o leva a uma empresa que vende veneno e ratoeira para pegar os ratos desprevenidos.
Embora seja um filme feito com animação por computador, a loja que aparece no longa foi inspirada em uma que realmente existe em Paris e traz, inclusive, os animais empalhados na vitrine. Especialista na luta contra os animais nocivos, os estabelecimentos Julien Aurouze, criados em 1872, estão a serviço dos parisienses com mais de 150 produtos em uma loja com fachada de época.
8, Rue des Halles – Paris 1°

 

Nova York, EUA

“Friends” (1994-2004)

A cidade é praticamente um cenário de filme a céu aberto. Impossível passar pelas ruas da cidade e não se lembrar de alguma cena de filme ou seriado. No Village, na esquina das ruas Bedford e Grove, por exemplo, está um prédio fácil de reconhecer. É que ele foi escolhido, entre tantos outros, para representar o local onde vivem Monica, Chandler, Joey e Rachel, em “Friends”.



Embora o seriado se passe em Nova York, as cenas internas foram gravadas em estúdio do outro lado do país, em Los Angeles. E o café Central Perk, que eles amam frequentar, não existe de verdade.

“Mensagem para Você” (“You’ve Got Mail”, 1998)

Tom Hanks e Meg Ryan são Joe Fox e Kathleen Kelly nesta comédia romântica de Nora Ephron. Os dois trabalham no mesmo ramo: vendem livros. No entanto, a pequena livraria de Kathleen está ameaça pelo crescimento da grande rede conduzida por Fox.
Os dois se odeiam, mas acabam se conhecendo via internet, com pseudônimos. Até que um dia eles combinam de finalmente se conhecerem pessoalmente. O encontro às escuras é marcado no Cafe Lalo, um charmoso café no Upper West Site. Uma foto da cena filmada ali pode ser vista já na vitrine. Do lado de dentro, capuccino e doces.

201 West 83rd St., New York, NY 10024

“O Bebê de Rosemary” (“Rosemary’s Baby”, 1968)

O thriller de Roman Polanski, com Mia Farrow e John Cassavetes nos papéis principais, se passa no edifício Dakota, localizado em frente ao Central Park. A maior parte do longa tem um dos apartamentos como cenário. É muito comum ver pessoas fotografando o edifício, embora não seja permitida a entrada, pois trata-se de um condomínio residencial.

Por sua história e imponência, porém, vale a visita, ainda que só para ver a fachada, de 1884. Foi lá também John Lennon e Yoko Ono moravam quando o músico foi assassinado em  1980 e ‘Vanila Sky’, com Tom Cruise, foi filmado em 2001.

1 West 72° Street

Texto originalmente publicado na GQ,


About the author

Read more posts by


Leave a comment

© 2017 Memória Cinematográfica