Subscribe via RSS

Crisis in Six Scenes

03 ago 2017

written by Memória Cinematográfica

Crisis-in-Six-Scenes-featur

Crisis-in-Six-Scenes-abre

 

É quase uma obrigação: a cada ano, Woody Allen lança um novo filme. Há mais de 40 anos ele faz isso. É inspiração que não acaba mais.

Há pouco tempo, porém, ele foi desafiado pela Amazon a produzir uma série de TV para exibir no canal on demand da empresa. O cineasta cumpre a palavra e não joga dinheiro fora. Foi lá e fez.

Quer dizer, ele acha que fez.

Disponível no Brasil com legendas em português, a série “Crisis in Six Scenes” (“Crise em Seis Cenas”) conta, em seis capítulos, a história Sidney J. Munsinger (interpretado pelo próprio Woody Allen), um escritor de romance neurótico (!), que tem a missão de escrever uma série de TV, a nova mania da geração atual. Sua mulher, Kay, é terapeuta de casal, que tenta resolver os problemas dos outros —embora não seja capaz de resolver o seu próprio.

A trama se passa nos anos 1960, em Nova York, mas basicamente as cenas ocorrem dentro da casa onde vivem. É lá, inclusive, que aparece a personagem vivida por Miley Cyrus (péssima), uma fugitiva da polícia.

crisis-in-six-scenes-fim

Cada um dos capítulos tem menos de meia hora, o que torna possível assisti-los de uma única vez. Faz total sentido, pois, ao contrário do que foi pedido (série de TV), Allen fez aquilo o que sabe fazer muito bem: longa-metragem. E depois o dividiu em seis. É como se ele tivesse fatiado a produção única em seis episódios.

Se Nova York é a cidade preferida do diretor (onde mora e onde gosta de filmar), a série poderia ser uma homenagem ao local, mas não possui a orientação urbana como costuma fazer, tal como em “Manhattan”, em “Tudo Pode Dar Certo” e assim por diante. Aqui, tudo se passa dentro de uma casa. Os personagens entram e saem o tempo inteiro.

A trama é ambientada nos anos 1960, o que revela um desconforto do diretor em atualizar seus roteiros para os dias atuais. Lembremos do recente “Café Society” (que se passa nos anos áureos de Hollywood) e do belo “Meia-Noite em Paris”, cujas idas e vindas no tempo são o item principal história.

E se Allen não de sentia à vontade em escrever e filmar uma série de TV, ele buscou sua própria zona de conforto: a cidade, o humor ácido e inteligente e a década da ambientação.

“Crise em Seis Cenas” não é uma verdadeira série de TV, mas é uma obra inspirada de Woody Allen que pode (e deve) ser vista de uma vez só. Dê play aos episódios seguintes e aproveite.


About the author

Read more posts by


Leave a comment

© 2017 Memória Cinematográfica